Aula 2 – Informações Complementares

Olá Cursista!

Para complementar organizamos esse texto para que você conheça e comece a estudar com detalhes os princípios empregados na audiodescrição.

Observe cada elemento que destacamos. 

Como em toda atividade profissional, a audiodescrição se baseia em princípios norteadores, que orientam e sistematizam a prática.

 

Os mais recorrentes na maioria das diretrizes são: Objetividade,Clareza e Relevância.

Objetividade: Molda as escolhas dos termos empregados.

Clareza: Aperfeiçoa o texto audiodescrito, tornando-o conciso e evitando que fique muito simples ou rebuscado.

Relevância: Guia as escolhas do que será audiodescrito e do que será mantido fora do roteiro.

 

Para começar a descrever uma imagem, oriente-se pelas seguintes questões:

O que estou vendo?

Quem estou vendo?

Onde está isso que estou vendo?

 

Além dos princípios citados, a seguir serão apresentados outros elementos que irão auxiliar e aprimorar o seu trabalho, seja para a elaboração de roteiros de audiodescrição de vídeos (imagens dinâmicas), seja para a elaboração de roteiros de audiodescrição de imagens estáticas.

Tudo o que será apresentado deverá fazer parte de uma análise cuidadosa e da tomada de decisão do audiodescritor em conjunto com o consultor em audiodescrição.

Os elementos foram extraídos e adaptados de diversas fontes (ITC Guidance on Standards for Audio Description, Guidelines for Audio Description – American Council of the Blind, An Introduction to Audio Description: A practical guide [Fryer, 2016], entre outros)

  • Na audiodescrição, os VERBOS são utilizados no PRESENTE DO INDICATIVO. 

  • Descreva o que está acontecendo e o que está vendo, exceto nos casos em que o personagem está rememorando uma cena do passado. Nesses momentos, a audiodescrição deverá ser feita com VERBOS NO PASSADO, para mostrar que a cena se refere a um evento já ocorrido.

  • As CORES têm um componente cultural muito marcante. Inclua as cores das roupas e objetos nas seguintes ocasiões:

            *para facilitar a identificação do personagem ou local,

            *para descrever a personalidade e o estilo,

            *e sempre que as cores forem relevantes para caracterizar uma época, ambiente, cultura e personagem.

 

A IMPARCIALIDADE é outro princípio que deve fazer parte da elaboração de uma audiodescrição.

Sabemos, com base na linguística aplicada, que a imparcialidade absoluta não existe. Aqui, entenderemos essa imparcialidade como algo relativo.

O audiodescritor deve assumir a tarefa de descrever, e NÃO de julgar, criticar ou interpretar.

A audiodescrição deve procurar NÃO antecipar informações, para não romper as expectativas.

Caso haja uma surpresa na história, o ideal é que os usuários da audiodescrição sejam apresentados a essa surpresa no momento mais próximo possível de sua ocorrência.

Em relação ao cuidado com a antecipação de cenas, o ideal é que a audiodescrição ocorra simultaneamente ao fato audiodescrito.

Em vários momentos, é possível encaixar a audiodescrição em um ponto muito próximo. Contudo, em outros casos, por questões de espaço ou de excesso de diálogos, a audiodescrição poderá ocorrer um pouco antes ou um pouco depois da cena a que se refere.

Outro aspecto importante é que o audiodescritor deve evitar fornecer dados tardiamente, para não frustrar o usuário da audiodescrição, e para não confundi-lo com as reações que as demais pessoas estão tendo.

O RITMO também deve ser mantido, ou seja, a audiodescrição deve seguir o mesmo ritmo das cenas para que o usuário possa vivenciar a história da mesma forma que o restante das pessoas.

As diretrizes também sugerem que os PERSONAGENS devem ser nomeados conforme forem surgindo na trama.

Não se deve usar nomes de personagens que ainda não tenham sido citados pelo narrador ou pelos demais personagens, a menos que já tenham sido apresentados nas notas proêmias.

Nas notas explicativas iniciais, é possível citar as participações especiais, desde que sejam relevantes ao entendimento da trama ou que sejam fatos culturalmente importantes para os espectadores.

Vejamos alguns exemplos em situações especiais: pessoas famosas convidadas a fazer participações especiais, como por exemplo alguns músicos, políticos, atores de outros filmes. Em alguns casos, essas pessoas aparecem como personagens, em outros, como elas mesmas. Em geral, quando ocorrem essas participações especiais, os videntes não são alertados sobre a presença desses convidados.

O audiodescritor precisa pensar em qual será sua opção: Vai omitir essa informação? Vai citar as participações especiais? Em quais pontos elas serão apresentadas?

A ORDEM DO TEXTO audiodescrito deve ser lógica, em função da organização entre as imagens.

Os ADJETIVOS devem ser descritivos e imparciais, e o mais concretos possível.

Outros aspectos que precisam ser considerados são:

  • Procure sintetizar as informações.
     

  • Desenvolva uma ótima escrita.
     

  • Tenha atenção aos detalhes.
     

  • Descreva do geral para o específico.
     

  • Evite usar pronomes possessivos para evitar ambiguidade.
     

  • Evite usar conjunções adversativas.

Lembre-se: para audiodescrever é preciso deixar de lado preconceitos, opiniões pessoais e avaliações.

O audiodescritor deve olhar a obra através de uma lente límpida e cristalina, sem distorções, sem exageros e sem minimizar ou maximizar os aspectos relevantes.

Agora é sua vez, escolha uma imagem ou vídeo na internet e exercite elaborando a audiodescrição seguindo as diretrizes e os princípios destacados.

 

 

Leitura Complementar

Acesse também o Link para o ITC Guidance neste link http://msradio.huji.ac.il/narration.doc

Conheça as Diretrizes para a audiodescrição e o código de conduta profissional para áudio-descritores:

 

Versão em Língua inglesa https://goo.gl/TE4wCB

Versão em : Língua portuguesa https://goo.gl/ipsxW7

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *