Anotação de Aula

Para avaliar um estudante com TEA acredito que os critérios sejam os mesmos para se avaliar os demais estudantes, os intitulados neurotípicos.
É preciso, observar para conhecer as características (dificuldades e potencialidades), não só do estudante, mas também da turma, para que se possa planejar as etapas e pensar nos processos do que se pretende desenvolver e onde se quer chegar, atendendo as necessidades educacionais de todos.
Para que esse processo tenha êxito todos os envolvidos nos processos do estudante precisam participar ativamente.
No caso de um estudante com TEA, não podemos esquecer que sua forma de enxergar o mundo é diferente. Devemos respeitar o seu perfil psicoeducacional e precisamos ter flexibilidade no planejamento. Também é de fundamental importância que se leve em consideração que as aprendizagens devem ter funcionalidade prática para sua vida.
Devemos sempre realizar adaptações que podem variar dependendo do nível de gravidade dentro do espectro, mesmo que o estudante não tenha Iaudo. Devemos flexibilizar a temporalidade de diversas formas (tempo de prova, ano escolar, avaliação – que pode ser um portfólio no lugar da prova, pode ser ora, podemos ainda diminuir ou aumentar o número de questões etc).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *