Aula 1

6 respostas em “Aula 1”

Gostei muito do vídeo.
Por gentileza, onde se encontra o conteúdo complementar?
Por gentileza, me confirme se o que eu entendi está correto, no vídeo a professora Ana Julia, cita dois conceito de audiodescrição, e o narrador fala os nomes de Vera Santiago e da Lívia Motta, significa que os conceitos são delas respectivamente é isso mesmo?

Boa tarde Fernanda !

Os materiais complementares estão na aba de informação.

Referente sua pergunta sobre o vídeo : Vera Santiago e da Lívia Motta são duas das fundadoras da audiodescrição no Brasil. Os conceitos não são delas, mas elas adotaram esses conceitos e desenvolveram cada uma suas práticas . A Prof Vera Santiago da UECE seguiu mais para o lado da pesquisa, e tem trabalhos nessa área na Universidade Estadual do Ceará. Já a Lívia Motta tem uma empresa de acessibilidade e se especializou principalmente em eventos teatrais. Vale muito a pena ler tudo que você encontrar que tenha sido produzido por elas.

Sobre o vídeo entendi que é uma modalidade de tradução audiovisual definida como recurso de acessibilidades de mediação linguística que transforma o visual em verbal. Pode ser usado para trabalhar com outras deficiências como intelectual, auditivo dislexia e deficit de atenção. Pretendo trabalhar com alunos que atendo no AEE , tornando meus atendimentos mais significativos e atraentes principalmente para os que tem dislexia surdez e deficit de atenção.

Adorei a aula. Ao audiodescrever algo que me pareceu mais difícil foi ser segura nas minhas escolhas, saber que tinha conseguido, com uma boa escolha lexical, descrever. O repertório imagético de cada um será diferente e essa questão acaba me deixando insegura de que estou realizando um bom trabalho. Estou fazendo o curso justamente para agregar mais conhecimento na área e poder deixar minhas inseguranças para trás. .

Profa. Ana, diante de tantos conceitos apresentados (o que é incrível, diga-se de passagem), a audiodescrição deve ser considerada (1) uma tradução propriamente dita, (2) uma técnica de tradução ou (3) uma modalidade (tipo?) de tradução? As nomenclaturas e as formas como cada conceito se apresenta me confunde um pouco e fico pensando qual seria o modo correto de conceber a audiodescrição, inclusive quando falar dela para outras pessoas ou mesmo responder a uma questão de concurso. Obrigado.

Ana, essa inclusão do conceito de semiótica na fundamentação da audiodescrição ,e pareceu bastante pertinente, sobretudo para sua compreensão no meio acadêmico. Outra definição que me parece bastante ampla é a que consta na Portaria sobre acessibilidade na TV, da ANATEL.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *